Como Funciona o Rádio

Esse capítulo obrigou o autor a fazer compilação em obras de engenharia eletrônica, haja vista o mesmo não ser engenheiro, portanto, as informações a seguir são de responsabilidade da enciclopédia pesquisada.
Transmissão. As partes essenciais para a transmissão radiofônica são:
  1. O Microfone, que transforma as ondas sonoras em corrente alternada. As ondas sonoras fazem vibrar o diafragma do microfone, o qual modifica a intensidade da corrente elétrica, de maneira a corresponder, exatamente, às vibrações provocadas pelas ondas sonoras. Esta corrente alternada de audiofreqüência - ou seja, com a freqüência do som – flui, depois, através de válvulas amplificadoras e transformadoras.
  2. Um Gerador de Rádio Freqüência, que produz corrente alternada de alta freqüência. Essa corrente é gerada por um oscilador especial, que emprega o efeito piezelétrico do quartzo. Um oscilador de cristal, sempre que mantido a temperatura conveniente, gera um sinal de freqüência constante. Isso é muito importante para as transmissões e de radioamadores.
  3. Um Modulador, que combina a corrente alternada de audiofreqüência com a corrente alternada de radiofreqüência muito maior, de maneira que a corrente resultante oscile ainda, mas modificada para se adaptar ao sinal sonoro. Isto é obtido de duas maneiras: modificando a amplitude (intensidade) de onda, isto é, por modulação da amplitude, ou modificando a freqüência da onda, modulação de freqüência, processo usado nas transmissões de freqüência modulada (FM).
  4. Uma Antena, que recebe a corrente modulada de alta freqüência e irradia ondas eletromagnéticas.
Ondas de Rádio
As ondas de rádio deslocam-se com a velocidade da luz, mas sua freqüência de oscilação, ou seja, o tempo que a corrente que as irradia requer para completar um ciclo completo, pode variar. De acordo com um convênio internacional, as emissoras de rádio empregam freqüência entre 550.000 ciclos (550 quilociclos) e 108.000.000 de ciclos por segundos (108 megaciclos). Note-se, porém, que a unidade ciclo por segundo se denomina atualmente hert, cujo símbolo é Hz. Assim, um ciclo por segundo corresponde a 1 Hz; 1.000 ciclos a 1 kHz, que se lê 1 quilohertz; um milhão de ciclos por segundo corresponde a 1 MHz, que se lê 1 megahertz. As faixas de freqüência das emissoras podem ser classificadas de diferentes maneiras. 
 

Uma delas é a seguinte: 
 
Baixas Freqüências: 30 a 300 kHz- emissoras de navios, serviços policiais etc.
Freqüências Intermediárias: 550 a 3.000 kHz emissoras de ondas médias, faixas tropicais etc.
Altas freqüências: 3.000 a 30.000 kHz – emissoras de ondas curta, faixa de amadores, telegrafia a  longa distância.
Freqüências muito altas (VHF) e ultra-altas (UHF): 40 a 200 MHz – emissoras de freqüência modulada, televisão, radar, radioastronomia etc.



Recepção. Para receber as ondas eletromagnéticas irradiadas e transformadas novamente em sons, é requerida a seguinte aparelhagem:
  1. Uma antena, para captação das ondas;
  2. Bobinas de Indução e Condensadores, uma série para aumentar a corrente fraca detectada;
  3. Um Circuito Modificador de Corrente para freqüência alternada em auditiva, constituído principalmente de: 

    - Um Tubo Retificador, 
    - Um Cristal, que faça fluir a corrente em uma direção;
    - Um Circuito Amplificador do sinal de freqüência auditiva;




     

2 comentários:

Ciência e Arte Serrinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

muito bom

Postar um comentário